sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Música n° 12 - Dois - 2004 - Letra: Simone M. Rodrigues - Música: Ari A. Rodrigues

Meu olhar não tinha outra direção
Ao te ver andando em meio a multidão.
Ah... você me cruzou
Ah, você cruzou comigo.
O que de mau nos pode acontecer
Quando você cruzou comigo...
Ah... você me cruzou
Ah, você cruzou comigo.
Corpos entrelaçados mistando as cores dos cabelos.
Sentindo as mãos, ouvindo o coração
Ah! você cruzou comigo.
Ah... você me cruzou
Ah, você cruzou comigo.
O que de mau nos pode acontecer.
Quando você cruzou comigo...
Será paixão ou simples atração
Quando voce cruza comigo.
Porque então não vejo a multidão
Quando você cruza comigo.
Ah... você me cruzou
Ah, você cruzou comigo.
Ah... você...

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Música n° 11 - Eterna Jornada - 2003 - Autor, letra e música: Ari A. Rodrigues

A gente nasce mama, dorme e chora.
A gente fala chora ri e dorme.
A gente anda cai dorme levanta.
A gente cresce e a vida acorda,
A gente cresce e a vida acorda.
A gente entra na escola e aprende.
A ler contar e coisas diferentes.
E muitas coisas que a gente aprende,
Não teve planos pra contar pra gente,
Não teve planos pra contar pra gente.
Sonhos definem o que aprender.
A vida explica como se viver.
A gente estuda forma e trabalha,
Trabalha o forma de viver em nada,
Trabalha o forma de viver do nada.
A gente encontra e metade e casa.
Constrõe palácio eterna morada.
A gente vive eterna jornada,
A gente vive eterna jornada,
A gente vive eterna jornada.
Os filhos vem alimentam os sonhos.
Os filhos crescem concretizam os sonhos.
Os filhos vão e os sonhos acordam,
Os filhos vão e os sonhos acordam,
Os filhos vão e os sonhos acordam.
Se envelhece é o fim da jornada.
E gente velho é dor é sofrimento.
Carrega as vezes o arrependimento,
Só resta a dor o sono e dormir,
A gente dorme pra não mais sentir,
A gente dorme pra não mais sentir.
E a gente vive eterna jornada,
E a gente vive eterna jornada,
A gente vive eterna jornada.

Música n° 10 - Sa, Si e Su, três tesouros meus - 2003 - Autor, letra e música: Ari A. Rodrigues

Meninas guerreiras não tens limites não
A linha do horizonte apenas dimensão.
Meninas guerreiras não tens limite não
A linha do equador apenas divisão.
De um mundo todo a desvendar
Culturas e povos pra conquistar...
Além do equador é pura emoção
Meninas guerreiras não tens limites não.
Além do horizonte é vida é prazer
Meninas guerreiras que faz acontecer...
Histórias tão lindas de se contar
Seus filhos um dia vão se orgulhar...
Acima do equador é vida é prazer
Meninas guerreiras que faz acontecer...
Além do horizonte é pura emoção
Meninas guerreiras não tens limites não.

Música n° 09 - O Homem Precisa... - 2002 - Autor, letra e música: Ari A. Rodrigues

Chega de saudades chega de cidade
Chega de maldade amor.
Chaga de tristeza chega de probreza
Chega de pensar em dor.
O homem precisa parar
Dar tempo à sua opinião
O sistema não pode aniquilar
Sua nobre imaginação.
O homem precisa pensar
Ouvir e ter opinião
O sistema não pode excluir
Seu direito de ser cidadão.
Chega de saudades chega de cidade
Chega de maldade amor.
Chaga de tristeza chega de probreza
Chega de pensar em dor.
O homem precisa falar
Viver, vencer e divertir
O sistema tem que valorizar
Para o homem existir.
O homem precisa ver
Mais longe do que já enxergou
O sistema não pode insistir
Na ganancia e no terror.
Chega de cidade chega de saudade
Chega de pensar em dor...
Chaga de probreza chega de tristeza
Chega de maldade amor...

Música n° 08 - Sonhos sem Caminhos - 2002 - Autor, letra e música: Ari A. Rodrigues

Faltou a doce rotina
Valeu o que a rima, rima.
Venceu o que o amor ensina
Doeu a dor da rotina.
Sonhei um sonho acordado
De um mundo desacostumado
De vícios pré determinados
Venceu um mundo viciado.
Pra que porque, sonhar se não tem caminhos
Pra que sentir, se só tem espinhos.
Estou estarrecido, com as coisa que tenho vivido
Valeu o que o amor estima
Os sonhos só ficam sonhados.
Pra que porque, sonhar se não tem caminhos
Pra que sentir, se só tem espinhos.
Das rosas eu fiz poesias
Dos sonhos fiz alegorias
Das rimas eu fiz canções
Das ideias fiz orações.
Pra que porque, sonhar se não tem caminhos
Pra que sentir, se só tem espinhos.
Pra que porque, sentir se só tem espinhos
Pra que sonhar se não tem caminhos...

Música n° 07 - Depois da Folia - 2002 - Autor, letra e música: Ari A. Rodrigues

Nem mesmo sei saber de mim
Tá tudo bem sou mesmo assim.
Marcadas ficaram as paixões
Eu sou assim, as vezes não.
Então entenda você
Sofri por você depois da folia.
Só sobrou agonia
Eu amo você eu quero você.
Deixa pra lá todo mundo
Volto num segundo eu amo você
Deixa pra lá todo mundo
Volto num segundo eu quero você.
As vezes sou apaixonado
Mal interpretado querendo ficar.
Nos dois podemos ir longe
Sabemos pra onde queremos chegar.
Deixa pra lá todo mundo volto num segundo
Pra ti buscar, vamos viver nossas vidas
Quem sabe o amor vai nos contemplar.
Amanhã será outro dia, depois da folia
Não vou ver voce.
Então sem demagogia antes da folia
Quero ter voce...
Deixa pra lá todo mundo
Volto num segundo eu quero você
Deixa pra lá todo mundo
Volto num segundo eu amo você...

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Música n° 06 - As Vezes é Assim - 1984 - Autor, letra e música: Ari A. Rodrigues

Tudo por uma questão existencial
Ser dois seres é natural.
Mas não faz mal tá tudo bem
Coisa normal somos nós também.
Tudo por seu eu voce
E mais ninguem
Tudo que vem de voce
Só me faz bem.
Mas não faz mal tá tudo bem
Coisa normal é viver bem.
Curto tua graça tua raça, teu amor
Sinto tua falta sua chama de calor.
Um dia vai dar tudo bem
Coisa normal é amar meu bem.
Um dia vai dar tudo bem
Vou me entregrar, também.