Tempos Turvos e Templos Sujos. 21/11/2015.

Religião, política e mídia. Um retrato falido da sociedade atual.
(Templos milagrosos, partidos políticos, mídia oportunista e sensacionalista).
Não tenho nada contra religiões e religiosos. Não tenho nada contra partidos e políticos. Não tenho nada contra mídias e midiáticos. Entendo, inclusive, ser importante a busca por conhecimento, informação, ideologia e fé. Necessariamente não é preciso replicar conceitos políticos, religiosos e midiáticos impostos pela sociedade atual que não deu certo. Não deu certo por não ser o melhor modelo de sociedade que temos, se fosse não estaríamos impotentes diante das barbáries, tragédias e carnificinas à que estamos expostos, propiciadas pela raça humana. Na cultura e sociedade atual tem muita gente boa de fé e ideologia não sabendo onde coloca-las e acabam creditando-as aos templos e partidos “milagrosos”, sem ter a mínima noção que por traz deles, templos e partidos, existem “criadores” oportunistas que manipulam fé e ideologia humana por interesses próprios, verdadeiros facínoras, assassinos e monstros, que faturam milhões, incluindo aí a grande mídia detentora do poder econômico. Mídia que manipula seus telespectadores usando imagens da desgraça alheia para promover seus programas cooptando infelizes incultos, induzindo-os na representação de seus circos, de forma cruel, por um melhor lugar no ibope. Atualmente como sou só Professor e não trabalho...rs...acabo, sem TV a cabo, entregue ao vício de ver TV, aberta, na esperança de encontrar algo que seja produtivo. Dos canais abertos poucos programas com abordagens jornalísticas imparciais se salvam. Existe alguns programas instrutivos, documentários, que divulgam cultura e educação, mas são poucos na mídia aberta. Outros, a grande maioria, simplesmente são medíocres somando aí a mediocridade de seus apresentadores, sem noção, enaltecendo estrelismo de personagens incultos, também sem noção, em horários nobres, principalmente aos finais de semana, propagando um vexame cultural. São os ditos programas dos famosos com gincanas bestiais em que os seus participantes respondem perguntas ridículas e vibram quando acertam que a capital do Brasil é Brasília. Na linha dos telejornais, sensacionalistas, o que chama atenção é a exploração e exposição das tragédias humanas. Canais diversos exibem em horários impróprios cenas de perseguições, assaltos, assassinatos e outras tragédias dignas de filmes proibidos para menores de dezoito anos, cenas fortes que são exibidas em horários de programas livres e infantis. Templos Milagrosos: Pior ainda é a predominância dos cultos religiosos nos canais das TVs abertas onde a exploração da imagem e da fé humana corre solta. O que mais impressiona é que esses templos “milagrosos” arrecadam milhões por conta da fé de seus seguidores, pagadores de dízimos, com promessas de curas impossíveis expondo, inclusive, a comunidade Médica exibindo receitas, exames radiológicos e diagnósticos como tratamentos ineficazes, enaltecendo "milagres" de seus pastores que pregam em nome de “Jesus ou Deus”, a cura que a medicina não curou. Num dia de ócio produtivo resolvi assistir cada um desses programas e cultos milagrosos anotando palavras e pregações dos ditos pastores milagrosos e suas interpretações dadas as escritas sagradas e a forma como elas são repassadas aos seus seguidores. Não sou um estudioso das religiões e escritas “ditas” sagradas, entendo também que os fiéis frequentadores desses templos, candidatos a dizimistas, também não são. Eles aceitam o que a seita impõe em suas pregações. A maioria dos Brasileiros não sabem ler e interpretar uma única frase, lógico, serão presas fáceis de seus pregadores. O charlatanismo praticado por esses “ditos” pastores, verdadeiros enganadores da fé humana, principalmente dos mais humildes, é visível em todos os programas que assisti. Na maioria deles, observa-se o absurdo da exposição do número das contas correntes para o depósito e recolhimento dos dízimos, de forma induzida, em nome de jesus e por ordem das escritas “ditas” sagradas. E assim, como nos templos milagrosos os partidos políticos e a mídia também praticam suas corrupções por falta exclusiva da ética de seus mantenedores e cultura de seus cordeiros que alimentam o saco enriquecedor das instituições religiosas, políticas e mídias indutoras. Entendo ser livre as práticas religiosas e partidárias, da mesma forma entendo, também, ser livre o cidadão de fé para decidir em quem ou no que acreditar e assistir. Apenas entendo: É cruel ver pessoas simples iludidas com pregações enganosas e intencionais. Absurdos são praticados neste país por conta da fé humana através dos pregadores em seus templos milagrosos. Absurdos são praticados neste País por conta das instituições políticas através de seus políticos mentirosos. Absurdos são praticados neste País em programas midiáticos sem o retorno cultural devido. O poder tripartite atual foi arquitetado, somente, para iludir as massas, o Povão. Não sei avaliar qual é o pior. Sei apenas que a Ética é a melhor das opções em todas as instancias e Ética não se pratica nos três casos: templos milagrosos, partidos políticos e mídias. Eis a questão: Qual é a melhor forma de sobreviver ao modelo atual instituído em nossa planta chamado Terra? Entendo: O modelo atual em que vivemos venceu. É preciso prescrever uma nova receita.