“A Menina do Posto” 15/07/2015


Estranho na Cidade cheguei errante, sem rumo, forasteiro. Aos poucos fui conhecendo lugares que saciassem minha sede. Sede em fazer amigos em uma mesa de Bar. Amigos de mesa de Bar não tive na cidade, não conquistei,conquistei somente a amizade dos donos dos Bares que frequentei. Havia um Posto onde comprava minhas cervejas pra tomar sozinho, sozinho em um quarto de Hotel sem amigos, sem mesa de Bar.Comprar cervejas no Posto foi a melhor opção que tive. Lá, às vezes, tomava algumas e foi assim que conheci a Menina do Posto. Única amizade que tive no lugar sem estar sentado em uma mesa de Bar. Não precisou do Bar para conversar e fazer Amigos. No Posto conversava com a Menina do Posto que vendia cervejas. Nossas conversas, de nossos cotidianos, foram divertidas.Seu carisma jamais irei esquecer. Serei seu eterno Amigo. Obrigado Menina do Posto. Você compensou tudo o que não tive no lugar. Obrigado mesmo, valeu! Você foi a melhor companhia que tive. Não precisou estar com Você em uma mesa de Bar. Você foi o meu melhor Amigo que tive em minha prática etílica saudável.Sentirei saudades, Abração!